O Som das Olimpíadas

Os Jogos Olímpicos estão oficialmente em curso e estamos assistindo a alguns esportes que, às vezes, só acompanhamos de 4 em 4 anos: ginástica; corrida; judô. Mas os sons dos esportes são memoráveis, como o tique-taque do ténis de mesa, a robótica fala “Em suas marcas!” antes do lançamento dos nadadores, etc.

Esses sons originais são parte da experiência olímpica. E é trabalho de um homem ter certeza de que os ouvimos claramente: Dennis Baxter, o engenheiro de som oficial das Olimpíadas desde 1996.

Tiro ao Alvo

Ao comparar os sons da prova de tiro ao alvo das Olimpíadas de Seul em 1988, tudo o que podemos ouvir é o barulho da flecha acertando o alvo. Baxter queria mudar isso. “Quando criança, lembro-me do filme Robin Hood”, disse ele a Guy Raz, apresentador do programa Weekends On All Things Considered. “Eu me lembro que havia esse hiper-som… E na competição de tiro ao alvo eu queria ouvir os sons da flecha.” Então ele montou quatro microfones no chão, ao longo do caminho da flecha, para pegar o lançamento e o som de seu voo através do ar.

Ginástica

Ginasta olímpica romena, Nadia Comaneci, celebra uma pontuação perfeita durante os Jogos Olímpicos de 1976 em Montreal.

A ginasta romena Nadia Comaneci, fez história nas Olimpíadas de Montreal, em 1976 , conseguindo um 10 perfeito pela primeira vez nos jogos. Ela estava nas barras assimétricas, mas as únicas coisas que ouvíamos era o apresentadores e o público. Mas em 2008, cada balanço e liberação de Beth Tweddle do Reino Unido, é perfeitamente audível. Baxter configurou microfones em cada canto das barras – a ideia, diz ele, era “[o ouvinte] deve ser capaz de fechar os olhos e saber exatamente onde ele está.”

Remo

Durante a primeira Olimpíada da Baxter em 1996, seu chefe o chamou durante os eventos de remo, com sua única crítica importante: Tudo o que ele podia ouvir eram os motores dos barcos de perseguição e do helicóptero da TV. Então, Baxter veio com uma de suas soluções mais incomuns. Ele levou um gravador portátil para o lago, gravou o som de vários barcos praticando e os colocou em um sampler para tocar junto com o evento ao vivo.

“Algumas pessoas pensam que é roubo. Eu não acho que eu estou enganando ninguém”, diz ele. “O som está lá. É o som exato. Só não está no tempo real. Por causa das leis da física, você tem um ruído mascarando outro ruído. Então… quando você vê um remador, sua mente pensa que você deverá ouvir o remador e é isso que nós entregamos.”

Aqui você pode ouvir toda a entrevista de Dennis Baxter.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s